Medo Noturno

Olá, Papai e Mamãe! Tudo bem?

Hoje vou falar sobre essa emoção, que as vezes é difícil de lidar, principalmente quando acontece no momento do sono. O medo pode levar a dificuldade para iniciar o sono ou, até mesmo, prejudicar uma boa noite de sono dos pequenos. Crianças com medos noturnos, geralmente têm dificuldade em dormir sozinhas, ao despertar a noite solicitam atenção dos pais e muitas vezes ficam acordadas sozinhas durante a noite.

Os tipos de medos noturnos variam de acordo com a idade, crianças de quatro a seis anos, por exemplo, apresentam medos do escuro, de ficarem sozinhas, de monstros e situações imaginárias. Os medos de crianças de 7 a 11 anos estão associados a perigos reais, como ladrões e violência. Em diferentes idades o medo de perder os pais também é presente.

Se o seu filho acorda durante a noite assustado, chorando, muitas vezes demandando sua presença, isso não necessariamente é um medo noturno, pode ser que ela tenha tido um pesadelo. Crianças muito pequenas têm dificuldade para dizer o que aconteceu, por isso as vezes é difícil para os pais identificar quando é um e quando é outro. Vamos diferenciar então o que é pesadelo e o que é medo noturno.

O pesadelo acontece na fase REM do sono, é uma fase menos profunda do sono, é aqui que os sonhos e pesadelos acontecem. Os pesadelos são muito comuns, estudos apontam que 80% do conteúdo do sono, de alguma forma provoca sensações ruins, conhecidas como pesadelos. Quando isso acontece com crianças pequenas, de 3 e 4 anos, há uma dificuldade para diferenciar o que é ilusão e o que é realidade, tendo dificuldades para relaxar e voltar a dormir. Em casos de pesadelos, vocês pais, podem acalmar e consolar a criança; explicar que o que ela sonhou não é de verdade; deixar com a criança algum objeto que ela goste e desenvolver uma rotina relaxante, um ritual do sono, para que ela possa dormir mais facilmente.

Já o medo noturno acontece na fase “não-REM”, uma fase mais profunda do sono. Embora pode causar espanto nos pais, é algo natural e que pode acontecer com algumas crianças. De acordo com o seu crescimento, esses episódios tendem a ficar cada vez mais raros, até desaparecer por completo.

No medo noturno, a criança pode manifestar sinais de pânico, conversar, gritar, chorar, se debater, sentar na cama, abrir os olhos, mas ainda assim ela continua dormindo, não nota a presença dos pais e depois nem se lembra do que aconteceu. Nesses casos, vocês pais, podem tocar a criança, acalmando-a e esperar o momento passar; não é necessário acordá-la.

Medos noturnos são comuns durante o desenvolvimento infantil, quando aparecem de forma tranquila e transitória podem ser superados pela maioria das crianças. Porém, para algumas crianças, o momento de ir para a cama representa uma grande dificuldade, associada ao medo noturno severo e pode atrapalhar o desenvolvimento do sono da criança. Nesses casos, é necessário buscar uma ajuda especializada.

Espero que tenha gostado do texto de setembro!

Um abraço e até o próximo!

Amanda Ferraz – Psicóloga parceira BBDU

amandafoliveira1@gmail.com



Como ajudar a volta às aulas ser tranquila e prazerosa para seu filho?

crianca-escola

As férias são um período de muita diversão para as crianças, onde podem brincar mais, visitar parentes, dormir até mais tarde, ou ir dormir mais tarde, muitas vezes fazer esportes diferentes e curtir mais a piscina ou a praia e embora elas possam estar com saudades dos colegas e da rotina, o retorno nem sempre é tranquilo, ou pelo menos devemos estar atentos ao fato de que as primeiras semanas serão de readaptação.
Então aqui vão algumas dicas de atividades, recursos e livros que podem ser usados desde aquelas crianças que não demonstram muito as emoções que surgem neste período até aquelas que demandam bastante dos pais e cuidadores nesta época.
– Envolva a criança na compra dos materiais ou se não precisar comprar nada, na organização do material escolar e uniformes. Faça este momento ser especial e valorize os momentos bons que virão pela frente.
– Se a criança mostrar algum tipo de preocupação com este início, já se antecipe. Existem livrinhos que falam sobre escola, sobre ficar longe dos pais e sobre medos, você pode ler alguns com a criança para ir conversando sobre estas emoções que podem surgir e juntos vocês já podem combinar formas de enfrentar. Alguns livrinhos sobre este tema que indicamos são: A Derrota dos Medos, Exageradalien, O Medo e seus Disfarces, Ata e Desata, e Não quero sair da bolsa.
– No primeiro dia de aula faça coisas especiais com a criança, procure estar com ela, ajudá-la organizar a mochila e se preparar, valorize as pequenas coisas, se possível faça um lanche especial (vale um bilhetinho no lanche também). Na BBDU criamos a Plaquinha para Fotografar: Primeiro Dia, ela é uma placa para registrar as primeiras vezes, e como a cada ano um novo ciclo se inicia, registre esse momento e relembre os anos anteriores.
– Se depois do primeiro dia ela ficar um pouco relutante em ir para escola, você pode usar recursos como ela levar um objeto de casa para acompanhá-la, ou se o sentimento predominante for o de se separar do pai ou da mãe ela pode levar um objeto dos pais, ou fazerem um desenho na mão igual da criança e dos pais simbolizando que estarão pensando um no outro. Outra ideia bacana é fazer um cheirinho do pai ou da mãe. A criança faz como se fosse uma poção mágica, pode misturar tudo! Perfume, desodorante, shampoo, hidratante, pasta de dente, enfim, tudo o que lembre o cheiro dos pais, aí vocês colocam num recipiente e ela leva para escola, para usar de apoio quando a saudade apertar.
Na BBDU temos também as Tatuagens dos Super Poderes, lá existem vários poderes para reforçar a força interna da criança, é um lembrete que ela tem aquele poder. Elas podem ser usadas em diversas situações, mas especificamente para adaptação escolar tem o poder de ficar feliz longe, o do esforço e o da coragem.
Se a criança continuar relutante e a emoção principal for medo: medo de ficar sozinha, medo de falar em público ou vergonha (que pode ser medo de não ser aceita) temos o Papa Medos e o Repelente de Monstros para ajudar, no site temos vídeos falando sobre eles.
Recentemente lançamos também a Caixinha dos Problemas, ela pode ser utilizada em diversas situações. O objetivo é ajudar a criança dimensionar o tamanho das situações e que a estão incomodando (problemas), então, em alguns casos poderá ser usada. Mas avalie bem o quanto a adaptação está sendo difícil, se ela estiver sendo muito sofrida, então este não seria o instrumento mais adequado.
Uma outra ideia, quando você sentir que falta só um “empurrãozinho” para esse recomeço, é usar o Voucher do Reconhecimento, que além de incentivar a criança a se divertir mais neste início, proporciona bons momentos em família com os vouchers propostos, e como ela está vindo das férias, onde vocês podem ter passado muito tempo juntos, separar momentos para fazerem coisas legais pode ser uma boa ideia.
Enfim, use e abuse da criatividade e imaginação e torne cada dia especial, principalmente os inícios que já são cheios de descobertas e emoções. Eles têm um cantinho bem especial na vida da gente e ficam guardados na memória.

Um beijo.

Juliana Martins – BBDU