Tag

família

Browsing

tocO livro TOC, aprendendo sobre os pensamentos desagradáveis e os comportamentos repetitivos vai ensinar de forma simples e muito lúdica que algumas crianças não conseguem aproveitar os momentos de brincadeiras e outras atividades porque ficam muito envolvidas com seus pensamentos. E estes pensamentos as vezes ficam muito intensos e na tentativa de se livrar deles surgem alguns comportamentos.

crianças-que-demoram-a-falar-2Recentemente lançamos um novo quadro em nosso canal do Youtube, chamado Como é para você?

A ideia é levar para as famílias informação e conteúdo de qualidade e que a gente confia na origem.Traremos profissionais da saúde em quem confiamos para falar sobre a infância. Cada um com seu jeito de ver e entender as coisas da vida. E, na gravação dos primeiros episódios, a psicóloga Bianca Muniz Kuhn, nos leu uma carta tão linda que queremos compartilhar aqui com vocês. Vale muito a reflexão.

Você já parou para pensar que ser desorganizado pode custar caro?
Quando não nos organizamos para fazer as comprar do mês por exemplo, vamos ao supermercado muito mais vezes e além da gasolina a mais, a cada ida sempre acabamos pegando mais uma coisinha. Manter a organização na cozinha e na dispensa também nos ajuda a saber o que temos e o que falta, não ocorre de comprar algo e depois encontrar escondido.

omedoeseusdisfarcesQuem tem criança pequena em casa certamente já precisou lidar com algum medo, seja de fantasma, palhaço, altura ou elevador. E eles surgem mesmo, é super normal. Esse livrinho aborda este assunto de forma muito bacana e mostra que o medo não serve só para assustar, ele também quer nos ajudar muitas vezes e o que precisamos fazer é aprender a lidar com ele.

Menina-Segurando-BrocolisQuando viramos mães, passamos a nos preocupar muito mais com a alimentação, não é?
Umas mais, outras menos, mas de alguma forma começamos a prestar mais atenção nisso. Sabemos que uma alimentação saudável previne uma série de doenças, certo?
Todo mundo sabe que comer salada é saudável, não é?
E porque não temos esta preocupação em deixar nossos filhos emocionalmente mais fortes?

tem-mosntro-aqui-em-casaEsta é a história de Caio. Ele acorda no meio da noite e ouve barulhos estranhos, gritos e vozes vindo da cozinha, e isso deixava ele com muito medo, imaginando que teriam monstros em sua casa.
Durante várias noites isso se repete e ele resolve perguntar para o pai se monstros existem. O pai afirma que não, que isso era bobagem da cabeça dele. Então, uma noite o menino se enche de coragem e vai até a cozinha e descobre que as vozes que ouvia eram seus pais brigando.

Quem é pai ou mãe bem sabe o que é ter que lidar com um ataque de birra do filho no meio do supermercado ou do shopping, ou ainda, por causa de alguma coisa que ele falou ou fez e que não “devia”. Na BBDU, a gente vive recebendo perguntas sobre como lidar com estas situações, então hoje eu decidi falar sobre o cérebro infantil.
Vou falar de uma forma super simples e concreta, mas que eu acho que quando conseguimos ter em mente estes conceitos, conseguimos entender vários comportamentos de nossos filhos (e até mesmo nossos) e poderemos lidar diferente com as situações.

perfeita-SQNAs crianças muitas vezes enfrentam dificuldades em lidar com suas qualidades em suas interações sociais, principalmente quando “saem” da proteção da família e precisam se relacionar com amigos e colegas na escola e em outros ambientes de interação.

Essa é a história de uma princesa, linda e muito desejada por seus pais. Para comemorar seu nascimento eles fazem uma linda festa e convidam as fadas bondosas … Você já deve estar pensando que é a história da Bela Adormecida, só que não.

familia-educaçãoemocional

Recentemente falei sobre a importância do NÃO (fiz um vídeo também sobre isso veja aqui) e a repercussão foi enorme, o que me faz pensar que muitos pais concordam comigo, apesar de todo pai saber como pode ser difícil dizer não, ainda mais nos tempos atuais em que temos tão pouco tempo juntos.
E é sobre este tempo junto que vim falar hoje, e como já falei da importância do NÃO, agora vou falar da importância do SIM. Mas não o SIM fácil, o SIM difícil.