Ansiedade na adolescência

A ansiedade é um transtorno que vem crescendo consideravelmente nos últimos anos e os jovens não estão imunes a esse problema que tanto atinge a saúde e a qualidade de vida das pessoas. São vários os motivos que podem levar o adolescente a desenvolver o transtorno de ansiedade, como a convivência familiar, pressão escolar e a aceitação em grupos sociais. Para que os pais fiquem atentos, segue alguns dos sintomas apresentados pelos jovens do dia a dia:

Preocupação excessiva
O adolescente costuma ficar muito incomodado com o que as outras pessoas podem estar achando dele. Isso leva a uma autocobrança muito intensa. O jovem passa a acreditar que não é bom o suficiente em vários aspectos e isso acaba levando a baixa autoestima e um afastamento natural do círculo de amigos e até mesmo dos familiares.

Receio das interações sociais
Esse sintoma é um dos mais recorrentes em casos de ansiedade na adolescência. Isso porque nesta fase da vida a opinião dos outros, principalmente de outros jovens da mesma faixa etária, acaba sendo muito importante para o adolescente. Quando há um transtorno de ansiedade, as interações sociais acabam se tornando um verdadeiro martírio.

Inquietação emocional
Situações comuns como ir para o curso sozinho ou visitar um amigo acabam se tornando angustiantes para o adolescente. Essa sensação deixa o jovem mais irritado e compromete a sua concentração.

Luciana Tisser é psicóloga, especialista em Neuropsicologia e em Grupoterapia além de mestre e doutora em Ciências da Saúde – Neurociências e autora de diversos livros infantis e instrumentos de acesso nesta área.

A Lu é sócia da Casa BBDU foi inaugurada em Porto Alegre. Venha conhecer!
📍 Av. Cristóvão Colombo 100 sala 301

Como ajudar a volta às aulas ser tranquila e prazerosa para seu filho?

crianca-escola

As férias são um período de muita diversão para as crianças, onde podem brincar mais, visitar parentes, dormir até mais tarde, ou ir dormir mais tarde, muitas vezes fazer esportes diferentes e curtir mais a piscina ou a praia e embora elas possam estar com saudades dos colegas e da rotina, o retorno nem sempre é tranquilo, ou pelo menos devemos estar atentos ao fato de que as primeiras semanas serão de readaptação.
Então aqui vão algumas dicas de atividades, recursos e livros que podem ser usados desde aquelas crianças que não demonstram muito as emoções que surgem neste período até aquelas que demandam bastante dos pais e cuidadores nesta época.
– Envolva a criança na compra dos materiais ou se não precisar comprar nada, na organização do material escolar e uniformes. Faça este momento ser especial e valorize os momentos bons que virão pela frente.
– Se a criança mostrar algum tipo de preocupação com este início, já se antecipe. Existem livrinhos que falam sobre escola, sobre ficar longe dos pais e sobre medos, você pode ler alguns com a criança para ir conversando sobre estas emoções que podem surgir e juntos vocês já podem combinar formas de enfrentar. Alguns livrinhos sobre este tema que indicamos são: A Derrota dos Medos, Exageradalien, O Medo e seus Disfarces, Ata e Desata, e Não quero sair da bolsa.
– No primeiro dia de aula faça coisas especiais com a criança, procure estar com ela, ajudá-la organizar a mochila e se preparar, valorize as pequenas coisas, se possível faça um lanche especial (vale um bilhetinho no lanche também). Na BBDU criamos a Plaquinha para Fotografar: Primeiro Dia, ela é uma placa para registrar as primeiras vezes, e como a cada ano um novo ciclo se inicia, registre esse momento e relembre os anos anteriores.
– Se depois do primeiro dia ela ficar um pouco relutante em ir para escola, você pode usar recursos como ela levar um objeto de casa para acompanhá-la, ou se o sentimento predominante for o de se separar do pai ou da mãe ela pode levar um objeto dos pais, ou fazerem um desenho na mão igual da criança e dos pais simbolizando que estarão pensando um no outro. Outra ideia bacana é fazer um cheirinho do pai ou da mãe. A criança faz como se fosse uma poção mágica, pode misturar tudo! Perfume, desodorante, shampoo, hidratante, pasta de dente, enfim, tudo o que lembre o cheiro dos pais, aí vocês colocam num recipiente e ela leva para escola, para usar de apoio quando a saudade apertar.
Na BBDU temos também as Tatuagens dos Super Poderes, lá existem vários poderes para reforçar a força interna da criança, é um lembrete que ela tem aquele poder. Elas podem ser usadas em diversas situações, mas especificamente para adaptação escolar tem o poder de ficar feliz longe, o do esforço e o da coragem.
Se a criança continuar relutante e a emoção principal for medo: medo de ficar sozinha, medo de falar em público ou vergonha (que pode ser medo de não ser aceita) temos o Papa Medos e o Repelente de Monstros para ajudar, no site temos vídeos falando sobre eles.
Recentemente lançamos também a Caixinha dos Problemas, ela pode ser utilizada em diversas situações. O objetivo é ajudar a criança dimensionar o tamanho das situações e que a estão incomodando (problemas), então, em alguns casos poderá ser usada. Mas avalie bem o quanto a adaptação está sendo difícil, se ela estiver sendo muito sofrida, então este não seria o instrumento mais adequado.
Uma outra ideia, quando você sentir que falta só um “empurrãozinho” para esse recomeço, é usar o Voucher do Reconhecimento, que além de incentivar a criança a se divertir mais neste início, proporciona bons momentos em família com os vouchers propostos, e como ela está vindo das férias, onde vocês podem ter passado muito tempo juntos, separar momentos para fazerem coisas legais pode ser uma boa ideia.
Enfim, use e abuse da criatividade e imaginação e torne cada dia especial, principalmente os inícios que já são cheios de descobertas e emoções. Eles têm um cantinho bem especial na vida da gente e ficam guardados na memória.

Um beijo.

Juliana Martins – BBDU