20 Passos para o Bom Divórcio – Passo 2

By Manual da Separação

Esgotei todas as Possibilidades?

No passo anterior, trouxemos a percepção de posições. Quem acionou o gatilho desta crise, quem deu início a tudo isso. E aqui cabe ressaltar que a separação não é uma crise esperada: casamos desejando o amor romântico, a construção de uma família e que ela seja eterna.

Com o passar do tempo, por várias possibilidades, o casal acaba se perdendo, com o crescimento individual em descompasso com o do outro, mudanças significativas, ausência de projetos em comum, ruídos na comunicação e desconhecimento, as vezes até de si mesmo. Uma crise pode sinalizar um pedido de socorro, uma tentativa ainda de olharmos para aquela relação e retomarmos através do histórico de afeto.

O manual traz questionamentos que nos conduzem a respostas determinantes: existe alguma chance dentro deste casal? Temos a sensação de que fizemos tudo que estava ao nosso alcance? Estamos centrados no todo ou apenas na gente? O que é preciso para sairmos melhores desta fase? Temos sentimentos que anda nos impulsione? Se sim, temos uma caminhada conjunta a trilhar. E todo o casamento vale até o último esforço de investimento.

Agora, se depois deste olhar, destas tentativas vier a sensação do “sim, eu fiz de tudo e não vejo outra saída que não seja uma separação”, pode respirar e começar os passos. Quando partimos do sentir o esgotamento das possibilidades, não temos como evitar este processo e teremos chances determinantes de acabarmos bem, no caminho de um bom divórcio. E sabe o porquê? Porque estaremos em dia com a nossa mais importante verdade e com a menor carga de culpa possível, mesmo que ela insista em nos acompanhar. É uma espécie de autorização para seguirmos em frente.

Esta sensação trará ao longo dos passos, a certeza necessária para conseguirmos resolver diversas questões. Será nossa parceira nos momentos mais difíceis. Nos ajudará a não esmorecer nas primeiras dificuldades. Porque quando não temos certezas, e muitas vezes não teremos mesmo, partimos em desvantagem e ficaremos presas no passado, buscando respostas e motivos que já nem existem mais.

Esgotar possibilidades dentro de um casamento faz com que ele encerre de forma inteira. E neste processo, o caminho se da para frente, numa perspectiva de futuro, com o nosso olhar de agora.  

É o caminho para um melhor divórcio? Seguimos.

Núcleo da Separação com Filhos (saiba mais sobre nós)

20 Passos para o Bom Divórcio – Passo 1

By Manual da Separação

Em que posição me encontro?

O fim partiu de quem e que diferença isso faz?

Por razões pessoais: amadurecimento de uma situação emocional, enfrentamentos, aprofundamento em terapias, buscas pessoais, tem sempre um, dentro de um casal, que percebe o fim antes do outro. E o perceber não significa desejar aquele final. Apenas está atento a um processo que pode vir a ser apenas uma crise a ser enfrentada ou, o início de uma separação. Este, sinaliza com conversas e com atitudes que nos direcionam para este pensar: como fazer e sair de uma situação assim. Com esta “vantagem” de auto percepção, muitas vezes, lá na frente, aos olhos do outro, parece sofrer menos com a separação, quando, na verdade, iniciou o luto anteriormente, evidenciando um dos tantos desencontros típicos de uma relação em desarmonia.

A este é dado o rótulo de acionador do gatilho, responsável pela crise e pelo desencadear do processo de separação e no desenrolar dos passos de um divórcio, normalmente àquele que carrega uma culpa significativa.

Por outro lado, aquele que não deu causa ou que não trouxe a verbalização da crise, costuma ocupar o papel de vítima. Não desejou, não esperava e muitas vezes afirma ter sido pego de surpresa. Ao contrário do papel da culpa, a este cabe a vitimização, normalmente representada por atitudes de resistência, fragilidade e indignação.

E o que esta definição nos permite concluir ao longo do caminhar para um divórcio? Os posicionamentos citados definem um processo negocial. Interferem no enfrentamento, no ceder ou não e na necessidade de se responsabilizar alguém, o que muitas vezes pode ser prejudicial para toda uma família.

Veremos ao longo dos passos que não existem culpados. Quando um casamento chega ao fim ele vem dando sinais de saturação, de não cuidado e falhas de ambos os lados.

Ao contrário do que podem pensar, o Manual não faz apologia à separação. No passo seguinte, Esgotando possibilidades, veremos se dentro daquele casamento não existe ainda alguma possibilidade de retomada e redirecionamento, configurando apenas a sinalização de uma crise. Porque olhar com lentes de enfrentamento não só é uma possibilidade de aproveitamento a uma eventual chance como também, uma visão necessária (e real) de seguirmos em frente e nos separarmos da melhor forma possível.

Existe uma forma para isso? Existe um bom divórcio?

Existe, sim. Segue os passos e te mostraremos um caminho.

Núcleo da Separação com filhos (saiba mais sobre nós)

Casa BBDU e o Manual da Separação criam núcleo da separação com filhos

Amigas de longa data Juliana Martins, Luciana Tisser e Paula Britto se reencontram num ambiente profissional com o mesmo objetivo: acolher e orientar famílias.

Luciana e Juliana, psicólogas, inauguraram a Casa BBDU um espaço pensado para famílias com crianças e adolescentes. Paula, advogada, escreveu o livro Manual da Separação um guia prático que conduz ao bom divórcio.

Desta união, surge o núcleo da separação com filhos.

O que somos:

Somos uma equipe multidisciplinar de profissionais capacitados e especializados em separações e divórcios que, através de várias abordagens, acolhe e fortalece famílias que passam por este processo.

O que queremos:

Acolher famílias com crianças e adolescentes que estão passando por esta crise de reestruturação familiar mas que, bem orientados, poderão ser conduzidos de forma mais fortalecida e menos traumática.

O que oferecemos:

– Produtos criativos e de uso prático que auxiliam neste momento sensível (ex: livros para adultos e para crianças, calendário da família, papa medos, spray de monstros)

– Rodas de conversas com temas necessários para um melhor encaminhamento do divórcio

– Conteúdo de qualidade através das nossas redes sociais sobre assuntos pertinentes ao tema.

– Cursos e palestras para orientação de profissionais da área da psicologia e do direito que atuem nesta área específica;