Alfabetização em casa: como incentivar o seu filho?

Uma das principais medidas para conter a disseminação do Novo Coronavírus foi a suspensão – total ou parcial – das aulas. Atualmente, a maioria das escolas estão com modelo híbrido, o que ocasiona que parte dos processos de aprendizagem seja realizada de forma remota e, muitas vezes, em um modelo bem diferente do aplicado em sala de aula. 

Durante a fase de alfabetização, é extremamente importante que escola e família andem juntas: uma estimula de lá, outra de cá. Nesse momento de aulas à distância, então, a demanda pelo auxílio dos pais é ainda mais presente. Confira as dicas do blog da BBDU para potencializar uma das etapas mais importantes da aprendizagem da criança!

Por que é importante?

É sabido que a alfabetização é um processo importante pelo qual todo ser humano passa (ou deveria). No entanto, o que para muitas crianças é uma fase tranquila, divertida, repleta de descobertas e lições, para outras pode ser um pouco mais complicado. Nem todos os indivíduos têm a mesma facilidade nesse momento tão fundamental para o desenvolvimento infantil.

Se a alfabetização não for realizada de forma correta, com cuidado e atenção para cada aspecto trabalhado, o estudante pode ter menores chances de obter êxito nos seus estudos, de forma geral. E isso tem impacto de curto e longo prazo. Mas mais importante do que saber identificar letras, juntar sílabas e formar palavras, é entender a técnica da escrita e leitura como uma forma de comunicação, que engloba a dinâmica da língua e da relação entre grafemas e fonemas. Isso vai muito além de saber que a letra “B” se pronuncia “bê” ou que “CASA” tem duas sílabas.

A definição de alfabetização da UNESCO, inclusive, é a seguinte:

…conhecimento básico, necessário a todos num mundo em transformação; em sentido amplo, é um direito humano fundamental. Em toda a sociedade, a alfabetização é uma habilidade primordial em si mesma e um dos pilares para o desenvolvimento de outras habilidades. Existem milhões de pessoas, a maioria mulheres, que não têm a oportunidade de aprender (…) a Alfabetização tem também o papel de promover a participação em atividades sociais, econômicas, políticas e culturais, além de ser requisito básico para a educação continuada durante a vida

(UNESCO, 1999, p. 23).

Ou seja, é a alfabetização que nos torna cidadãos, humanos, seres com senso crítico e social. 

Como funciona o processo de alfabetização

Existem, de forma geral, quatro metodologias de ensino para alfabetização:

  • Alfabética: em que a criança aprende o som e a escrita de cada letra, criando sílabas e, depois, palavras;
  • Fônica: em que a criança aprende o som das letras, das vogais, das consoantes de emissão constante (F, L, M) e pausada (P, B, C), para somente depois aprender a escrita;
  • Silábica: em que a criança aprende primeiramente as vogais (escrita e som), as sílabas por grupos familiares (PA, FA, LA) para somente depois juntar as sílabas já conhecidas e criar palavras;
  • Reconhecimento global: em que a criança aprende a palavra ou frase, as memoriza, para depois então analisar o som e escrita das letras.

Não existe um consenso em relação ao melhor método, mas, o mais usado, entretanto, é o fônico. No entanto, é importante sempre analisar o contexto da criança e diversificar as abordagens, a fim de torná-las mais dinâmicas e divertidas.

Como incentivar a alfabetização em casa

Você, como pai ou mãe, pode – e deve! – fazer a sua parte durante a alfabetização do seu filho. Mas como fazer isso sem sobrecarregar a criança, que já ficou estudando durante todo o período de escola? Tornando o aprendizado mais leve. A leitura e a escrita são parte da nossa vida de uma forma que quase nem mais percebemos, de tão natural. Portanto, estudar isso é basicamente viver a vida normalmente, incluindo o seu filho neste processo. Confira as dicas!

Use o lúdico durante atividades rotineiras

Que tal usar os prendedores de roupa para criar palavras? A ideia é exatamente se apropriar de elementos do nosso dia a dia, para torná-los meios divertidos de aprendizado.

Outra opção – mais simples e menos trabalhosa – é utilizar o kit de imãs alfabeto da BBDU! Desafie o seu filho: questione qual a comida ele quer para o jantar e peça para ele apontar para a letra inicial do nome da comida, através dos imãs. Depois que esta etapa for mais fácil, parta para as sílabas, até que ele consiga escrever o nome todo da comida.

Pergunte o nome das coisas

Se o seu filho falar que adorou aquele boneco, por que não estimulá-lo a pensar sobre as palavras que fazem parte daquele universo? Pergunte a cor dos olhos, o nome da peça de roupa, o estilo do sapato ou a atividade que está sendo realizada por ele. Questione com que letra começa essas palavras e vá evoluindo na dificuldade das perguntas conforme o desenvolvimento da criança. 

Responda os porquês!

Toda criança tem aquela fase importante em que tudo que acontece surge a dúvida: por quê? Apesar de ser um pouco chato para você em alguns momentos, responder os questionamentos dos pequenos auxilia muito no desenvolvimento deles. Inclusive, em relação ao vocabulário. É através da curiosidade que aprendemos os nomes das coisas, e pensamos sobre a construção deles.

Crie palavras com os adesivos de letrinhas da BBDU!

Inventar palavras novas pode ser mais divertido e produtivo do que você imagina! Permita que a criança use a imagem e experimente misturar as letras, criando novas combinações. Apenas certifique-se de chamar atenção para quando aquela palavra existe, e quando não existe, para não gerar nenhum tipo de confusão.

Treine a escrita com o livro educativo Abremente!

A grafia das letras faz parte do processo de alfabetização. Não é fundamental que o seu filho tenha a letra mais linda do mundo, mas ela precisa ser compreensível. Portanto, aproveite o livro educativo Abremente para que ele possa escrever e apagar quantas vezes quiser.

Conclusão

Entre todas as dicas importantes que poderíamos dar nesse texto, a mais essencial é: acompanhe o processo de alfabetização do seu filho e garanta que ele ocorra da forma mais leve e agradável possível. É como se ele estivesse aprendendo a caminhar. São os primeiros passos para a construção de um ser que se comunica, se posiciona, e se insere no mundo em que vive. Ah! E não esqueça:

Educação não transforma o mundo. Educação muda as pessoas. As pessoas transformam o mundo.

Paulo Freire

Juliana Martins
Psicóloga | Mãe da Duda | Criadora da BBDU

Leave a Reply

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.